28/07/2021

Julho Amarelo alerta sobre a conscientização de hepatites virais

A campanha Julho Amarelo é voltada para a conscientização de hepatites virais, conjunto de doenças responsáveis por atacar o fígado e por provocar consequências graves na saúde das pessoas acometidas por essas doenças. Por esse motivo, a Associação Paulista dos Empreendedores do Circuito das Compras (APECC) alerta sobre os cuidados e formas de prevenção às hepatites virais.

Segundo estimativa da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), mais de 1,5 milhão de pessoas têm hepatite, mas apenas cerca de 300 mil sabem disso. Trata-se de uma inflamação do fígado provocada, na maioria das vezes, por vírus, mas também pode ser ocasionada pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, bem como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.

No Brasil, os tipos mais comuns são causados pelos vírus A, B e C. Mas existem ainda os vírus D e E. Ainda que cada um desses tipos apresente as suas particularidades, elas são consideradas doenças silenciosas no começo. Com o tempo, porém, surgem sintomas como cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados (icterícia), urina escura e fezes claras. 

No período entre 2000 a 2018, foram registradas 74 864 mortes no Brasil por causa do problema. A hepatite C concentra 76% desses óbitos, segundo o último Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais, publicado em julho do ano passado pelo Ministério da Saúde. O dado reforça a importância dos cuidados e da prevenção às hepatites virais. 

 

Formas de transmissão:

– Contágio fecal-oral: condições precárias de saneamento básico, de higiene pessoal e dos alimentos (vírus A e E).

– Transmissão sanguínea: compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos que furam ou cortam (vírus B, C e D).

– Transmissão sanguínea: da mãe para o filho durante a gravidez, o parto e a amamentação (vírus B, C e D).

– Relações sexuais desprotegidas (vírus A, B, C e D).

 

Como prevenir:

– Use preservativos em todas as relações sexuais.

– Não compartilhe objetos de uso pessoal, tais como agulhas, alicates de unha e lâminas de barbear.
– Exija sempre materiais esterilizados ou descartáveis em estúdios de tatuagem e piercing, consultórios médicos, odontológicos, manicures, etc.

– Lave as mãos (incluindo após usar o banheiro, trocar fraldas e antes do preparo de alimentos).


– Lave bem os alimentos antes do consumo.

– Vacine-se contra as hepatites A e B.

*Atualmente, a rede de serviços de saúde do SUS disponibiliza testes rápidos para as hepatites B e C. O diagnóstico também é realizado por meio de exames de sangue específicos para os tipos da doença.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias Relacionadas